segunda-feira, maio 26, 2008

uau! e viva La Reina!


fazem alguns dias que Denize me disse que tinha comprado um tecido que a fez lembrar de mim, e ia fazer uma bolsa.
ela não me disse do que era o tecido, e eu não perguntei.
pensava quando viria a bolsa, às vezes perguntava, mas ia procurando conter a ansiedade, a curiosidade.
como a raposa do Pequeno Principe, esperava, mas já feliz sabendo que daqui a poucos dias a bolsa chegaria.
hoje, ela falou: sua bolsa está no site.
fui correndo ver e era uma bolsa de instrumentos, uma orquestra inteira!
para quem faz musica desde os oito anos de idade, como eu, isto é parte da vida.
sons, música, partituras, interpretação, e um desafio diário na arte da interpretação.
mesmo agora, escrevendo, e atuando na direcão do conservatorio, os desafios e encantos se mantem.
"descansar carregando pedras", como diz meu amigo Vinholes.
mas com gosto, como a cachaça diária que Denize fala no La Reina Madre.
um fazer diário que vicia.
assim a musica, assim o compartilhar belezas através das bolsas.
estou lendo um livro do Rubem Alves, Educação dos Sentidos, que tem me feito lembrar Denize.
ele fala de coisas que me fascinam e encantam ha muitos anos, da necessidade de uma educação estética, de aprender a ouvir, a ver, a admirar a beleza com olhos de poeta.
e isto deve ser anterior a uma educação de fatos, de aprender história, saber escrever ou fazer fichas de leitura.
é um abrir os olhos para o mundo, e ver poesia nas coisas do cotidiano.
aí e que vejo Rubem Alves descrevendo Denize.
porque ela não faz bolsas, apenas.
ela faz arte, reunindo suas memórias, histórias, encantos e encantamentos.
colocando beleza em cada linha, em cada escolha de tecido, entremeando os tecidos com os contos, os carinhos, as recordações.
assim, quem a acompanha, descobre novas poesias, novos cantos, novos livros, novos perfumes, cores e texturas no reino mágico e maternal de suas criações.
é a percepção poética e artística que Denize tem do mundo que engendra cada bolsa, carregadas de emoção e do carinho de uma rainha-mãe que une vários cantos do Brasil em sua propria historia.
quem congrega com sua arte, torna-se preso do encanto das novas bolsas que virao, de receber a caixa que traz o presente perfumado de uma bolsa delicada.
e quem carrega a bolsa, carrega a poesia de Denize, seu carinho, cuidado e entrega no escolher dos tecidos, na sutileza das combinações, no cuidado dos acabamentos.
e percebe o mundo com um novo olhar: mais sutil, delicado, colorido...
gracias, flor!
me emocionei até!

7 comentários:

Anônimo disse...

Acabo de ler quase todo o blog de novo . Aqui tem tanta vida e poesia , palavras fortes e verdadeiras . obrigada por tudo !!! com muito carinho e com meu amor

mami

Lunna Montez'zinny disse...

Adorei a bolsa, nossa, não a conheço tão bem assim (aliás, ainda conheço pouco) mas depois de saber que estuda música há tanto tempo, realmente deve ser a sua cara essa bolsa. Linda mesmo. E se foi feita pela Denise, no mínimo deve ter uma energia maravilhosa.
Abraços meus

eliane bambirra disse...

Olá,
vi uma referencia sobre Madu Lopes que enviava ao seu blog...mas nao localizei...
Gostaria muito de ler.
elianebambirra@hotmail.com

Anônimo disse...

li tudinho!!!!!


bjos!
manuca

isa disse...

obrigada, mami, lunna, manuca, pelos comentarios! bom sabe-los por aqui! beijos!

isa disse...

eliane, te mandei por mail os textos sobre as obras do madu. beijos!

Ana disse...

Já te imagino desfilando pelas ruas gris de satoleP, colorindo tudo!!
E, com uma bolsa tão linda e musical, com certeza vais ouvir alguém cantarolar:

"Olha que coisa mais linda,
mais cheia de graça..."

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Clube da Mafalda

Clube da Mafalda