sábado, agosto 02, 2008

sobre amamentação

tenho dois filhos, Pedro e Gabriel.
Pedro nasceu em 20 de abril de 2002 e Gabriel nasceu em 04 de setembro de 2006.
amamentei o Pedro ate um ano e dois meses, e Gabriel ate um ano e quatro meses.
a amamentação é uma época muito linda e muito intensa.
por um lado, a gente se sente uma vaca leiteira, tendo que voltar em casa de duas em duas horas para amamentar a cria.
por outro lado, sabe que aquele alimento é o melhor do mundo para o bebê.
sentir a satisfação dele sugando, o sono que acompanha a plenitude da barriguinha cheia, ver ele dormir agarrado no seio (contra todas as recomendações de todos os pediatras...), era lindo demais.
é uma proximidade unica, um momento tão especial que eu nunca consegui entender como é que tem mães que escolhem ou preferem não amamentar seus bebês.
é claro que tem mães que nao podem, por motivos de saúde, até, ou outros motivos que desconheço.
e para amamentar, o unico caminho é relaxar, ter confiança que o leite vai vir, e que tu és capaz de criar a tua cria.
é uma certeza e uma potencialidade tão ancestral que por isto mesmo me parece que nesta epoca uma mulher vira leoa, loba, vaca.
ninguem tem um vinculo tão forte com o bebê quanto a mãe.
e é ali que começa esta vinculação entre alimento e carinho, que a gente leva para o resto da vida.
porque amamentar não é só alimentar.
é acolher, acarinhar, demorar quarenta minutos ou mais olhando olho no olho, sentindo aquela mãozinha que mexe no teu cabelo, acarinha tuas costas, afaga teu rosto.
aquele serzinho que vive do liquido doce e morno que sai do teu corpo, que antes pertencia a uma só pessoa, e que agora pertence a uma pessoa que gera e alimenta outra.
este é um poder que remete ao poder das mulheres, das mulheres bruxas, curandeiras, guerreiras, amazonas, ao redor das quais giravam as sociedades matriciais.
poder ancestral.
amamentar é uma forma intensa e presente de entrar em contato com este poder ancestral tão pouco presente em nossa sociedade que vive atras da ditadura da magreza e da beleza unica.
uma sociedade da pressa, do imediatismo, do mais rapido, mais facil, mais controlavel.
a amamentação nao é rapida, nem imediata.
depende de calma, entrega, dedicação, intensidade.
se não fosse por todo o resto, apenas por aprender isto, ja valeria a pena.
e muito.

Um comentário:

Andrea Nunes disse...

Isa, oi, obrigada pela visita viu, te respondi por lá.

Menina, tu sabe que só consegui amamentar um pouquinho mais de 3 meses :(
voltei a trabalhar quando a Natinha estava com dois meses, e mesmo levando ela junto, com o estresse do trabalho meu leite secou, sofri muito, queria ter amamentado bem mais tempo. Quem sabe no próximo né :o)

beijos

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Clube da Mafalda

Clube da Mafalda