terça-feira, dezembro 13, 2005

como dois e dois...


Hostal El Tejadillo, em La Havana.
a cena era muito interessante.
o Pedro ficou durante longos minutos observando o guarda do local, que estava na porta principal.
depois de observar todos os movimentos, se postou ao outro lado da porta.
imitava cada gesto do guarda.
se ele colocava as mãos no bolso, Pedro colocava também.
cruzava os braços, idem.
até me pedir para trocar o próprio relógio de braço ele veio, para ficar igual ao guarda.
diante de tanta iniciativa, só me restou fotografar!

(Como dois e dois são quatro sei que a vida vale a pena embora o pão seja caro e a liberdade pequena
Como teus olhos são claros e a tua pele, morena
como é azul o oceano e a lagoa, serena
como um tempo de alegria por trás do terror me acena
e a noite carrega o dia no seu colo de açucena
- sei que dois e dois são quatro sei que a vida vale a pena
mesmo que o pão seja caro e a liberdade, pequena.
Ferreira Gullar)

3 comentários:

Paul disse...

isa! ssem tempo para comentários que façam jus ao relato da aventura, mas saiba: viajei (e sigo viajando) junto! Tô acompanhando tudo. beijão!

Luciana disse...

Isabel,

Só agora consegui chegar aqui no teu blog... Adorei o relato da viagem. Estive em Cuba há muitos anos atrás, e saí de lá com a sensação que tinha de voltar. Ler os teus Diários de Malecon só dá mais vontade. A participação especial do Pedro no colóquio é emocionante... Olha, acho que esse guri vai ser músico!!

Beijos, Luciana

Anônimo disse...

oi.


lendo tudo.

bjo!
manuca

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin

Clube da Mafalda

Clube da Mafalda